O atual presidente do Bravo FC, Eliel Severo, concede sua primeira entrevista em 2021, para o site do Nagalera.

Com exclusividade Eliel respondeu todas as nossas perguntas, onde explicou dentre outras coisas, como surgiu uma das maiores rivalidades da várzea: Bravo x Máquina.

O atual presidente do Bravo FC, Eliel Severo, concede sua primeira entrevista em 2021, para o site do Nagalera.
Foto: Nagalera FC / Arquivo: Eliel Severo

Nagalera: No grupo Nagalera quando a bola está rolando, você agita e participa. Se apresente agora para toda galera do futebol amador.

Eliel Severo: Meu nome é Eliel Severo um dos fundadores do time hoje exerço a função de presidente.

Nagalera: Você é um presidente de time, bastante atuante e participativo, o Bravo hoje tem um nome em Salvador. Quer que o Eliel fez para o Bravo chegar no estágio que está hoje?

Eliel Severo: Jackson, acredito que o profissionalismo mesmo sendo futebol de várzea sempre tratei como muita seriedade, sempre colocando o Time a frente de qualquer coisa, e o fato de ser muito verdadeiro com os atletas isso faz com que muitos deles der seu melhor dentro de campo.

Nagalera: O campeonato de Castelo Branco é um campeonato muito valorizado em Salvador, muitos times querem jogar, quais foram as maiores dificuldades que o Bravo encontrou até chegar ao tricampeonato?

Eliel Severo: Com certeza é a questão financeira, é muito difícil fazer várzea sem recursos, já passamos por situações muito difícil, até em não entrar em campo nas vésperas do jogo contra o Guerreiro de Cristo, foi cogitado. Depois as coisas se resolveram e ganhamos o jogo de goleada.

Nagalera: Queria que você falasse daquela treta, entre você e a diretoria do Manchester, após a final de 2019, rolou aquela treta, agora é a vez de você dá sua versão.

Eliel Severo: Sentimento de traição minha ida para o Manchester foi para ser campeão que é meu objetivo em qualquer lugar, mas tinha uma promessa de um apoio em Castelo Branco no ano seguinte, acredito que ajudei o Manchester na montagem do elenco com minha influência com os jogadores e depois os caras decidiram vim jogar o campeonato contra mim, quis Deus que a gente fizesse a final daquele ano e o resultado Todos já sabem.

Nagalera: Quando seu time não joga, você vai para a várzea mesmo assim, como é que a patroa absorve isso? E qual é sua relação com o Juventus?

Eliel Severo: Hoje em dia a patroa está mais tranquila cola lado a lado comigo no Bravo, mas já houve época difícil onde ela não aceitava muito amor e dedicação ao time que só me fazia gastar dinheiro, mas agora ele entendeu que é o que eu gosto e fecha 10 a 10 comigo, Já minha relação com o Juventus é muito boa, digamos que não tem outra parceria igual na várzea e já dura anos, pode observar que é muito difícil um jogador de alguma das equipes não ter jogado na outra, tive a honra de ser campeão como jogador do Juventus em 2005 no Centro Social Urbano de Castelo Branco.

Nagalera: Você ganha no par ou ímpar, para escolher o jogador, quem você escolheria de primeira e porquê?

Eliel Severo: jogador séria Tikinho com certeza, acho que temos a mesma linha de pensamento honramos a nossa palavra, e fora que o cara é craque.

Nagalera: Você é uma amante da várzea, tem o espírito Nagalera, qual o conselho ou dica que você daria para mim e para Sérgio?

Eliel Severo: um conselho para você Sérgio siga em frente com esse projeto de vocês com certeza o Nagalera revolucionou a várzea de Salvador, lá na frente quando tiver em um patamar mais avançado espero que todos olhem para trás e lembre-se que vocês têm mérito na conquista.

Nagalera: Como é que você lhe dá com os jogadores da várzea, que fazem parte do seu elenco? Tem os seus preferidos? Tem aqueles que você paga e outros não?

Eliel Severo: jogador preferido é quem me dar Moral é quem não me deixa na mão por quaisquer 50 reais esses têm meu respeito, em relação a pagamento não diria dessa forma a gente procura ajudar quem nos ajuda, mas quando o bicho pega sou claro e graças a Deus eles entendem.

Nagalera: A rivalidade entre Bravo x Máquina, é uma das mais famosas no futebol amador de Salvador, quando foi que isso começou?

Eliel Severo: O Máquina é um time mais velho, o fato de a gente chegar depois com material próprio, escudo, torcida padronizada, diretoria, e já chegar sendo campeão invicto isso contribuiu para a rivalidade, fora que o treinador deles foi expulso do Bravo por não ser participante, aí foi acolhido lá no Máquina.

Nagalera: Outra coisa é a resenha tradicional entre você e Vandick, isso é porque ele joga no Família?

Eliel Severo: (Risos) Não, não, Vandick é uma cara que gosta de resenha assim como eu, então é muito bom ter cara assim na várzea.

Nagalera: Qual foi o maior absurdo que você já viu na Várzea de Salvador?

Eliel Severo: Muita história, porém nada que se possa provar, então vou citar o último absurdo que vi na Copa Cajazeiras, jogador Chorinho se recusou a sair de campo quando foi chamado para uma substituição. B9 seria o substituto, acho que isso não se faz nem com o treinador nem com o colega que vai entrar, foi o Família eu poderia fazer uma resenha, mas não aprovo essa atitude de nenhum jogador com nenhum time, nessa hora esqueço a rivalidade, falta de respeito.

Nagalera: É verdade que na Liga de Castelo Branco, é você que manda e desmanda? Inclusive na questão da pandemia, foi você que determinou como seria o seguimento da competição.

Eliel Severo: Não existe isso, apenas coloco meu ponto de vista que sempre é o melhor para todos com isso consigo o apoio das outras equipes, fui relutante para a volta do campeonato por causa dos apoios financeiros e da pandemia os números estão aí para provar que não era hora de voltar, mas graças a Deus a vacina chegou as coisas vão se normalizar.

Nagalera: Como você digeriu as saídas de Rodolfo, Diego, Bufa e Léo para o Botafogo? Faltou o aporte financeiro para manter o mesmo time do Tri campeonato?

Eliel Severo: Fui pego de surpresa! Sai do Arenoso com uma parceria no dia seguinte essa parceria já virou time adversário, Rodolfo e Bufa foram caras homens, me disseram logo de cara que não ficariam, mas os outros infelizmente não tiveram a mesma conduta, em relação a dinheiro para manter acho que não foi isso, sabe quando uma criança ver um brinquedo na vitrine e fica encantado? Você pode oferecer qualquer outra coisa que ela não vai querer, foi mais ou menos isso que aconteceu.

Nagalera: Como é a sua função de diretor do Real Sussuarana? Quais os cuidados que você procurou ter para não haver a mesma dor de cabeça que houve no Manchester?

Eliel Severo: No Real surge uma parceria que tem tudo para ser longa e boa. Marcelo Pinto é um cara fantástico e tenho certeza que não faria algo do tipo que aconteceu comigo no Manchester, então hoje fico tranquilo para dizer que a várzea não verá Bravo e Real Sussuarana no mesmo campeonato, assim como não verá Bravo e Juventus. Acho que já é o suficiente para manter uma parceria saudável, não disputar os mesmos jogadores.

Nagalera: O que representa a várzea na vida de Eliel Severo? Porque um dia você me disse que deixaria o Bravo?

Eliel Severo: Verdade tentei sair em 2018 justamente por causa dos desgastes com a patroa em casa e a dificuldade de manter o time no campeonato, O Bravo representa muito na minha vida não tem como falar de Eliel e várzea e não lembra do trabalho que venho fazendo nesses sete anos como presidente do Tri campeão do Beira, tenho muito orgulho de ter pego um uma ideia de um grupo de amigos e ter transformado no que o Bravo é hoje.

Nagalera: Imagine o Bravo dos seus sonhos x Vitória dos seus sonhos? Quem é que ganharia e quem faria os gols? Você torceria para quem?

Eliel Severo: Com certeza para o Bravo! Como eu venho dizendo a bastante tempo, perdi o amor que eu tinha pelo futebol profissional, já não é como antes e não só pelo triste momento que vive o time que eu torço, mas também pelo futebol pobre brasileiro, é difícil assistir um jogo no Brasil.

Nagalera: Fale sobre as mudanças que o distintivo do Bravo sofreu e como você avalia esse trabalho que o Nagalera fez para o Bravo?

Eliel Severo: Fantástico, o escudo do Bravo hoje tenho certeza que é digno do grande time que é o Bravo, a mudança veio em uma hora boa, feito com muito carinho, agradeço ao Nagalera por esse trabalho.

Nagalera: Qual o momento mais engraçado que você já viveu em um campo de Salvador?

Eliel Severo: Com certeza foi em 2014. Sempre conto esse história, um atacante que faria sua estreia no Bravo, foi um jogo de mata-mata, eu não o conhecia, ele chegou pra mim quando fui cumprimenta-lo e me deu um papel, eu perguntei o que é isso? Ele disse: segura aí, eu vou fazer o gol da classificação e você vai pagar para mim, quando eu olhei era um recibo de luz no valor de vinte cinco reais, eu dei risada e guardei, o jogo foi 1x0, passamos para semifinal e o miserável fez o gol da classificação.